A RESOLUÇÃO CNE/CP N. 2/2019 E OS RETROCESSOS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

  • Suzane da Rocha Vieira Gonçalves
  • Maria Renata Alonso Mota
  • Simone Barreto Anadon
Palavras-chave: Política Educacional, Formação de Professores, Diretrizes Curriculares Nacionais

Resumo

Este artigo problematiza as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) para Formação de Professores aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação em dezembro de 2019. Por meio de uma análise preliminar da Resolução CNE/CP n. 2/2019, procura-se discutir os principais impactos desta para a formação de professores. Tomamos como ponto de partida a Resolução CNE/CP n. 2/2015, para identificar as mudanças que envolvem aspectos pedagógicos e políticos para a formação docente. A análise evidencia o alinhamento das atuais diretrizes com a Base Nacional Comum Curricular; a assunção da noção de competências para a construção dos currículos das licenciaturas; o silenciamento com relação às discussões da formação continuada e da valorização profissional; entre outros aspectos. Por fim, entende-se que as atuais DCN representam um retrocesso para a formação de professores, privilegiando uma formação tecnicista, padronizada e pragmática, que pode acarretar um crescente controle do ser e do fazer docente. 

Publicado
20-09-2020