“TEM GENTE MARROM, E TEM QUEM É COR DE PELE”: RELAÇÃO ENTRE PARES NA EDUCAÇÃO INFANTIL

  • Karina de Oliveira Santos Cordeiro
  • Daniela Coutinho Barreto
  • Daniela Coutinho Barreto

Resumo

Este artigo apresenta uma pesquisa realizada em um município do interior da Bahia que teve como objetivo discutir como as relações interpessoais implicam para as construções identitárias das crianças negras, com idade de 4 a 6 anos, que frequentam um Centro de Educação Infantil. A intenção em realizar um estudo como esse se materializa na possibilidade de compreender como ocorrem as primeiras experiências de socializações interpessoais sobre as relações étnicas raciais através da cultura de pares. A abordagem da pesquisa é qualitativa, utilizou-se rodas de conversas como perspectiva metodológica para realizar a pesquisa com crianças e não sobre as crianças. A base teórica é articulada a partir dos estudos da infância e dos estudos culturais sobre as relações étnicas raciais na infância. Por meio dessa pesquisa, identificou-se que as experiências infantis sobre as questões identitárias no que diz respeito ao relacionamento com seus pares e a opinião deles, assim como a relação que se estabelece com a professora, pode se tornar uma lacuna no que diz respeito a construção da identidade da criança negra.

Publicado
06-07-2020