ROTAS DE FUGA DELEUZEANAS COMO ESTRATÉGIA DECOLONIAL NO ENSINO DE LÍNGUA ESPANHOLA NO BRASIL

  • Ana Caroline da Silva Santos
  • Lidyane Maria Ferreira de Souza

Resumo

O ensino de Língua Espanhola é um dispositivo de conservação do domínio eurocêntrico estabelecido desde a colonização dos povos sul-americanos que segue silenciando e invisibilizando os saberes oriundos dos nativos dessas terras e dos africanos que foram violentamente trazidos a esse continente e, por imposição, passaram a ter o idioma espanhol como língua materna. Em diálogo com Sueli Carneiro (2005), Lélia Gonzalez (1988) e Sílvio Gallo (2003), apresentamos a racialidade e sua permanência nos discursos estabelecidos como verdades e no epistemicídio que até os dias atuais condena línguas, histórias e culturas de negros e indígenas à marginalidade. Através de reflexões a partir de alguns conceitos de Deleuze e Guattari, nos deslocamentos trazidos por Silvio Gallo, como rizoma e literatura menor, propomos trazer estes saberes silenciados para o ensino de Língua Espanhola no espaço escolar, em movimentos que possam contribuir para a decolonização no processo de ensino-aprendizagem. Novas perspectivas são lançadas sobre o ensino de línguas hispânicas para que haja uma educação formal que respeita e valoriza todas as culturas que fazem parte da nossa formação histórico-social para um devir – deleuzeano decolonial.

Publicado
06-07-2020