O QUE HÁ DE NOVO NO "NOVO" RACISMO DO BRASIL?

  • Marcus Eugênio Oliveira Lima

Resumo

Nos últimos anos, o racismo se tornou mais aberto no Brasil; simultaneamente, vem ganhando força a percepção de que ele é, amiúde, um exagero das minorias ou uma retórica distorcida dos grupos que as defendem. Trata-se da narrativa ultraconservadora que concebe o racismo como “mimimi” dos negros. Na Europa e nos Estados Unidos, o racismo também voltou à agenda cotidiana, atuando como estruturante de opções políticas, a exemplo da eleição de Donald Trump e do Brexit. Neste artigo, procedemos a uma análise teórica do racismo no contexto de emergência dos discursos populistas-conservadores da atual conjuntura brasileira. A perspectiva adotada é da psicologia social das relações intergrupais. A hipótese de análise é a de que, nos últimos anos, como consequência de um relativo avanço social, cultural e econômico das minorias, foi gerado um sentimento difuso, misto de nostalgia do passado e ressentimento, que alimenta formas mais abertas e virulentas de racismo.

Publicado
06-07-2020