ESPECIFICIDADE DA DOCÊNCIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO (IFES)

Palavras-chave: Docência, Educação Profissional, Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, Pedagogia da Autonomia

Resumo

O artigo aponta especificidades do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES) e suas implicações para a docência. Este artigo é um excerto de pesquisa sobre a docência na Educação Profissional que toma como referência teórica o potencial emancipatório do trabalho e seu caráter educativo, cuja centralidade é a formação humana para a crítica e a autonomia. Os dados permitem identificar que o IFES possui um modus operandi bastante arraigado: a docência encontra-se sob forte influência dos ditames institucionais e culturais; seus valores, finalidades, objetivos, currículo escolar, entre outras prescrições, são alguns dos elementos que influenciam a prática pedagógica dos professores, adequando-a segundo as proposições institucionais.

Biografia do Autor

Tatiana das Merces, Secretaria de Estado de Educação do Espírito Santo (SEEduc/ES), Brasil

Mestra em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Atua como professora de Língua Portuguesa na Secretaria de Estado de Educação do Espírito Santo (SEEduc/ES).

Marcelo Lima, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil

Doutor em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF), com pós-doutorado em historiografia da educação profissional pela mesma universidade. Atua como docente do Departamento de Educação, Política e Sociedade do Centro de Educação da Universidade Federal do Espírito Santo (DEPS/CE/UFES), integra o quadro docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFES; integra o Núcleo de Estudos, Documentação e Dados sobre Trabalho e Educação (NEDDATE/UFF), o Grupo de Pesquisa Projetos Integrados de Pesquisas sobre Trabalho, História, Educação e Saúde (THESE/UFF), o Grupo de Pesquisa Gestão, Trabalho e Avaliação Educacional e o Grupo de Pesquisa "EM pesquisa".

 

 

Referências

AZEVEDO, L. A.; SHIROMA, E. O.; COAN, M.. As políticas públicas para a educação profissional e tecnológica: sucessivas reformas para atender a quem. Boletim Técnico do Senac, v. 38, n. 2, p. 27-40, 2012. Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2017.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2017.

BRASIL. Lei nº. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 30 dez. 2008b. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2017.

BRASIL. Decreto nº 5.154, de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 24 jul. 2004. Disponível em: . Acesso em: 15 mai. 2017.

BRASIL. Decreto Nº 5.840, de 13 de julho de 2006. Institui, no âmbito federal, o Programa de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos – PROEJA. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 14 jul. 2006. Disponível em: . Acesso em: 15 mai. 2017.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 06, de 20 de setembro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 21 set. 2012. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 2017.

COSTA, M. A. da. Políticas de formação de professores para a educação profissional: realidade ou utopia. Curitiba: Appris, 2016.

GOMES, H.M; MARTINS, H.O. A ação docente na educação profissional. São Paulo: Senac, 2004.

INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. Plano de Desenvolvimento Institucional 2014/2 – 2019/1. Vitória: IFES, 2014.

INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO [site]. Institucional: história. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2017.

KUENZER, A. Z. A formação de professores para o ensino médio: velhos problemas, novos desafios. Educação e Sociedade. Campinas, V. 32, n. 116, p. 667-688, 2011. Disponível em: . Acesso em: 17 out. 2016.

MACHADO, L. R. S. Diferenciais inovadores na formação de professores para a educação profissional. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, Brasília, v. 1, n. 1, p. 8-22, jun-2008. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

MOURA, M. O. A Atividade pedagógica na teoria histórico-cultural. 2ª Ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2016.

MOURA, M. O. O Educador matemático na coletividade de formação: uma experiência com a escola pública. 2000. 131 f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

MOURA, D. H. A formação de docentes para a educação profissional e tecnológica. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, Brasília, v. 1, n. 1, p. 23-38, 2008. Disponível em: . Acesso em: 17 maio 2016.

MOURA, D. H. A integração curricular da educação profissional com a educação básica na modalidade de jovens e adultos (Proeja). Cadernos de pesquisa em educação – PPGE-UFES. v. 19, n. 39, p. 30-49, Vitória: PPGE, 2014.

PENA, G. A. C. Docência na educação profissional e tecnológica: conhecimentos, práticas e desafios de professores de cursos técnicos na rede federal. 2014, 290f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal de Minas Gerais: Faculdade de Educação, 2014.

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, [S.l.], v. 12 n. 34 jan./abr. 2007. Disponível em: . Acesso em: 17 jan. 2017.
Publicado
25-05-2020
Como Citar
MERCES, T.; LIMA, M. ESPECIFICIDADE DA DOCÊNCIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO (IFES). RTPS - REVISTA TRABALHO, POLÍTICA E SOCIEDADE, v. 5, n. 8, p. p. 221-238, 25 maio 2020.